Arquivo da tag: cidade

Reino Vegetal

Vício pelo “Reino Vegetal”. Atualmente o melhor restaurante natural da cidade. Ontem rolou o “buffet mexicano”, a comida está sempre fresca, o tempero perfeito. Você é capaz de esquecer a vida carnívora e enlouquecer com o colorido dos legumes, molhos, bolos (ontem havia um empadão de milho delicioso). No meu caso, há uma pimenta batida pra alegrar. Creizi vida. Bom e preço ok. O Reino Vegetal fica na rua Luís de Camões, a mesma do Centro Hélio Oiticica, um quarteirão adiante, direção Saara, atrás da Pça Tiradentes.
Após o banquete, saindo em direção Centro, escuto de uma máquina de juke box, no bar das putas, vem o som dos Racionais, bem ao lado do Hélio Oiticica, que está sempre fechado (o prefeito só pensa no mu$eu do Amanhã, na zona portuária). Na mesma Luís de Camões três sebos prometem.
aché

Anúncios

o homem humano

Dentro do ônibus, direção Jardim Botânico-Lapa, escuto o seguinte de uma garota ao celular: “É, não, a gente se mudou. O apê é no Flamengo mas até parece Barra: o prédio é novo, alto e não tem mendigo perto”.

Oxalá nos guie.

tomar a cidade

Reanimando minha bici: Lapa-Botafogo e vice-versa. tava um sol lindo, o Aterro, o jardim das delícias. é tão bom andar de bicicleta pela cidade, dá pra ver as pessoas de perto, os detalhes da calçada, a polícia, os mendigos, os da cola, os que descansam, dá pra ter uma visão geral do trânsito, das obras, dos milhares de carros parados em lugar errado, dá pra ver os motoristas dos ônibus agora novos ou velhos (as empresas estão nesta de despedir os antigos e contratar novos e aposentados, são mais obedientes). bem, dá pra ver as pessoas surpreendidas, em sua maioria correndo em busca do buzão o mais rápido possível já que a city é caos, no mal sentido. escutei no pedro que o trânsito tava panca, desde a barra até niterói. Cá comigo que bici chance total de potência eu pele eu sol eu céu gente e silêncio a gente desliza bem é uma parada subjetiva porque o asfalto mano é bagaceira. hoje, particularmente, eu tava no delírio assassino e moralista, o que quer dizer, na maior velô pra desanuviar geral e buzinava para todos os veículos que faziam algo incorreto, ou seja, a cada dez metros triiiiiiiiiinnnnnnnnnnn.